sexta-feira , 28 julho 2017

26 mortes envolvendo motocicletas só este ano em Petrópolis

acidente samambaiaHospital Santa Teresa informou que 51% das vítimas que deram entrada na unidade esta ano são motociclistas

Na data em que é comemorada o Dia do Motociclista (27.07), a CPTrans alerta para ao alto índice de acidentes envolvendo este público. Dados copilados pelo hospital referência em trauma do município, o Santa Teresa, apontam que 51% das vítimas que deram entrada na unidade de saúde são motociclistas, ou seja, das 544 entradas de pessoas que o hospital registrou no primeiro semestre deste ano, 278 estavam em cima de uma moto. A cidade registrou sua 26ª morte por conta de acidentes no trânsito na noite de terça-feira (25).

Em 10 anos a frota de motocicletas registradas em Petrópolis também registrou aumento significativo. Em 2007 a cidade contava com 11.988 veículos do tipo registrado pelo Departamento de Trânsito. Em 2017 este número mais que dobrou, com 24.583, um acréscimo de 105%. A frota de todo o município em 10 anos cresceu 56,65%. Hoje, a cidade conta com 164.156 automóveis, uma média de 1,5 carro para cada 3 pessoas. Há 10 anos eram 104.790.

A CPTrans tem realizado a sinalização para estimulo de redução de velocidade em pontos do município cujo o número de acidentes é considerado alto como Washington Luiz e a Barão do Rio Branco, por exemplo. No entanto, a melhor forma de prevenir qualquer situação de perigo é a prevenção.

“É importante que os motociclistas tenham atenção, mas que os motoristas também tenham consciência e respeito às pessoas que estão pilotando. Durante o Maio Amarelo – mês dedicado a conscientização do trânsito – tivemos ações exclusivas para os motociclistas. É urgente que haja uma mudança de comportamento e que essas estatísticas sejam diminuídas”, destacou o diretor técnico operacional da CPTans, Luciano Moreira.

A CPTrans destaca alguns cuidados importantes aos motociclistas na hora da pilotagem.

– Não ultrapasse nas curvas – essa atitude limita a visibilidade dos veículos que transitam pela pista oposta. O ideal é esperar por um trecho de retas.
– Cuidado com o ponto cego – não circule próximo a carros ou caminhões, pois você poderá estar em um ponto cego de algum veículo e pode ser atingido e provocar acidentes.

– Não transite em paralelo a outras motociclistas – em caso de uma situação perigosa, como esquivar de um carro ou algum obstáculo no caminho, não haverá espaço suficiente para manobrar, comprometendo a sua segurança e a do outro motociclista.

– Mantenha-se sempre visível – é recomendável a utilização de roupas com detalhes reflexivos, além de indicado o uso de farol ligado para ajudar a manter o veículo ao alcance do campo de visão de outros motoristas.

– Não transite entre outros veículos – para as motos, a visibilidade é um ponto mais crítico do que para os automóveis, devido as dimensões de cada um dos veículos. Por isso, é importante que o motociclista seja sempre visto.

– Fique atento aos obstáculos no caminho – lixo, entulho, árvores caídas ou buracos podem intensificar o risco de um acidente em cadeia. Por isso é importante se manter atento ao caminho e detectar qualquer irregularidade na pista.

– Use o capacete e equipamentos de segurança – é crucial o uso de capacetes e dos demais equipamentos de segurança. Em um eventual acidente, a utiliza.

@canalpetropolis #canalpetropolis

Gostou do post? Compartilhe: