sexta-feira , 19 outubro 2018

Prefeito e Deputado de Petrópolis são citados em planilha apreendida na casa de Albertassi

rossi-neskauO prefeito Bernardo Rossi (PMDB)  é um dos citados em uma lista da Lava Jato por indicar nomes para cargos públicos atendendo ao esquema de corrupção do Governo do Rio. A planilha foi apreendida pela força-tarefa da Lava Jato, na casa do deputado Edson Albertassi (PMDB). O documento também cita o deputado estadual de Petrópolis, Marcus Vinícius (PTB).

De acordo com os investigadores, foram 880 cargos distribuídos em seis órgãos estaduais, como Detran, Faetec e Secretaria de Segurança Pública.

A investigação aponta que os políticos tinham um controle rigoroso de nomeações de cargos no governo para monitorar os votos de aliados e interferir em leis ou investigações.

Segundo a lista, o Prefeito Bernardo Rossi indicou três cargos, sendo dois em Petrópolis e um em Cordeiro, durante o mandato como deputado estadual.

Em nota, a assessoria de imprensa da Prefeitura de Petrópolis, informou que o prefeito não fez indicações para cargos.

Já o deputado estadual, Marcus Vinícius é citado por ter indicado 28 cargos em cinco cidades da Serra.

A assessoria de imprensa do deputado disse que não recebeu nenhuma comunicação oficial sobre o fato citado e que o mandato está à disposição das autoridades para esclarecimentos.

A assessoria do Marcus Vinícius ressaltou ainda que “a matéria veiculada diz respeito a cargos comissionados, aqueles de livre nomeação e exoneração, que de acordo com a Lei, devem ser ocupados por pessoas indicadas, não pressupondo em hipótese nenhuma, obtenção de vantagem ilícita, mas sim reconhecimento das pessoas que guardam habilidades pessoais e técnicas exigíveis para ocupação de qualquer cargo em comissão”.

Questionada pela Inter TV, a Faetec afirmou que não há nenhuma ilegalidade no processo de indicação política, uma vez que os cargos são de livre nomeação e exoneração, a fim de que sejam escolhidos profissionais de extrema confiança para desempenhar funções estratégicas das pastas.

Para a Faetec, o fato de haver indicação não pressupõe de forma alguma que os indicados não sejam qualificados tecnicamente para o exercício da atividade.

“Cabe ainda destacar que os diretores de escolas técnicas da rede são eleitos pela comunidade escolar e, em sua grande maioria, os Ceteps (Centro de Educação Tecnológica e Profissionalizante) e CVTs (Centro Vocacional Tecnológico) têm concursados na coordenação. Todos esses cargos passam por processo rigoroso de seleção e são de livre exoneração”, afirmou por meio de nota.

O Detran-RJ também se pronunciou dizendo que a atual gestão não tem conhecimento do documento citado e que o preenchimento das vagas do quadro de funcionários considera critérios técnicos e de confiança dos gestores

“Ao ingressar no órgão, todos os funcionários são avaliados, criteriosamente, pelo desempenho à frente do cargo para atingir as metas anuais elaboradas pela diretoria. Caso não tenha desempenho satisfatório ou qualquer desvio de ética e conduta os colaboradores são afastados de sua função”, afirmou o Detran.

O Departamento acrescentou que a atual diretoria instituiu o Programa Detran Conduta que avalia criteriosamente desvios de ética de todos os colaboradores.

“Além da avaliação técnica dos currículos, todas as contratações de funcionários são validadas após verificação da ficha de antecedentes criminais, realizada pelos órgãos de segurança e justiça do Estado”, disse o Detran.

Fonte: G1
@canalpetropolis #canalpetropolis

Banner mega

Gostou do post? Compartilhe: